Retrogeek Podcast #67 – Contra, Gunstar Heroes e Metal Slug

CompatilheShare on Facebook0Tweet about this on Twitter

Semana de Brasil Game Show, e o podcast não podia deixar de falar de games. Nesse 3em1 escolhemos três jogões marcantes do gênero Run and Gun: Contra, Gunstar Heroes e Metal Slug!

Participantes do episódio:
Caio Hansen, Sidão e JP Moraes

CONHEÇA A REVISTA DIGITAL JOGO VÉIO

Ajude o Retrogeek a chegar aos 16bits contribuindo em nosso Padrim!

Clique aqui e entre para nosso grupo no Telegram
Clique aqui e entre para nosso grupo no Facebook

 

Nosso Feedrss-cast
Nossa página no iTunesitunes-cast
Download do episódio em mp3

Fale Conosco:
Facebook, Twitter, Instagram, YouTube e contato@retrogeek.com.br

Arte da vitrine: Caio Hansen
Edição: JP Moraes

 

Um agradecimento aos nossos retropadrinhos:
Altamiro Francisco Rocha Junior
Caroline Rodrigues Serafim
Elieverson Santos
Lionel Novaes de Freitas
Jeferson de Oliveira Cardoso
Luiz Fernando Moreira de souza
Anderson da Rosa
Rafael Ramalli Da Silva
Diego Ferreira
Tiago Reis
Paulo Roberto da Silva Santos
Caio Vinícius Ney
Jonas Ferreira

 


Deixe seu comentário

  • Junior Xavier

    Que delicia! Hora de mandar bala nos inimigos, Contra joguei muito no nes com meu primo e nunca zerávamos, até o dia em que ele descobriu numa locadora alguém fazendo o konami kode e ai a vida mudou, Contra quando apareceu achava copia de outro jogo que devorava nosso dinheiro no arcades o Ikari warriors junto com o commando. O Aliens Wars do Snes achava ben bonito sim, tinha uns efeitos de rotação na tela bem malucos e que jogo difícil pra caramba. Contra Hard Corps merece um aparte, tive o cartucho e jogava muito, fiz vários finais dele e o meu personagem preferido era o robozinho. GunStar Heroes descobri por acaso, ninguém pegava a fita na locadora porque achavam muito dificil, levei um fim de semana para casa e viciei nela, que game bonito, diferente, lembro que quando começou a primeira vez que vi a fase tabuleiro eu WFT!! Boss com varias tranformaçoes, combos dos jogadores e virou um dos favoritos no meu mega drive. Metal Slug confesso que joguei mais nos arcades perdendo fichas que nos consoles, depopis de um tempo não sabia mais diferenciar eles e acho que parei de jogar a serie.
    Xbox Sou do sul sim Porto Alegre, mas infelizmente não sou rico, só trabalho desde cedo e sim tinha amigos que iam ao Paraguai.
    Xbox 2 Com certeza seria amigo da galera do Retrogeek, ia rolar muita jogatina regada a Tang, bolo de caixinha e cachorro quente de molho de salsicha.
    Abraços.

  • Thiago Cruz

    Ahhhh contra… Muita raiva passei kkk

  • Adilson Cts

    Olá amigos!
    Conheci o Metal Slug 1 em 1998. Nessa época eu tinha um Playstation 1 e sempre via os anúncios desse jogo com meus amigos em revistas de games. Certo dia acabei comprando o jogo e logo todos nós estávamos nos divertindo muito com ele. Depois eu vi as continuações, mas o terceiro jogo já não me agradou, e quando vi os personagens do KOF em Metal Slug eu achei que aquilo destoava dos dois primeiros jogos e acabei deixando as versões recentes de lado. Apesar disso, eu adoro o Metal Slug X. Tudo nesse jogo me agrada muito! Começando pela ambientação, passando pelos personagens, trilha sonara e os gráficos com um desenho estilizado. A minha fase favorita de toda a série é a Mission 3, que se passa em um trem. Gosto tanto de Metal Slug X que até decidi fazer uma homenagem a ele na forma de uma História em Quadrinhos. Eu usei o visual do jogo para criar minha própria história, que se passa em um futuro não muito distante, em uma São Paulo arrasada após o ataque de uma bomba nuclear. Planejei esse projeto para lançar em capítulos no meu blog, mas depois de fazer alguns esboços percebi que não ia conseguir manter o ritmo de produção necessário e acabei engavetando tudo. Talvez depois eu publique alguns desses esboços no grupo de vocês lá no Facebook.
    Continuem com o ótimo trabalho!

  • Ué. Eu não conhecia Gunstar heroes! Hoje mesmo vou solucionar isso.

  • Strider_Tag

    Sobre Metal Slug : meus preferidos são o X e o 3. O X é mesmo uma versão “turbinada” do 2, com uma cacetada de armas novas (Iron Lizard, Drop Shot, Super Grenade, Enemy Chaser) e o tanque dourado (que era mais ràpido e pulava mais alto).
    O 3 tinha caminhos alternativos durante as fases, alguns mais fàceis, outros bastante dificeis. E a fase final do 3 era horrivel de longa (e dificil pacas !).
    Como era prazeroso ouvir o YOU’RE GREAT no fim da fase (quando você consegue resgatar mais de 10 prisioneiros sem morrer) ! Jà depois do 4 eu não liguei muito …

    Sobre Contra : Meus preferidos são o Alien Wars (o 3, do SNES), o Contra Hard Corps, e o Shattered Soldier.
    A principio é uma tortura zerar o 3 no Hard, mas depois você acaba se acostumando, apesar de alguns chefes apelarem pacas (a dica é pegar as armas que causam mais danos pra luta não ir durando). E eu não consigo acertar a “roleta” do ultimo chefe no olho, tenho que ir pausando.
    Se o 3 dava uns toques de “boss rush”, o Hard Corps é puro boss rush. E, curiosidade sobre as versões :
    -A versão japa te dava 3 vidas e uma barra de energia aonde você aguentava até 3 tiros
    -A versão americana era no esquema de “1 tiro morreu”
    -A versão européia (“Probotector”) também era no esquema “1 tiro morreu”, mas você tinha até 7 vidas. E detalhe : essa versão não fazia menção NENHUMA ao “General Bahamut” (apesar do personagem – em versão robô – aparecer). Nas outras versões, você podia fazer um final ruim aonde você se aliava à ele, mas isso SUMIU da versão européia. E outra coisa, aquele lance do doutorzinho trair você também sumiu dessa versão. O “dead eye joe” também sumiu. E claro, nenhuma menção ao material alienigena que “sobrou” do Alien Wars (o elo entre o Alien Wars e o Hard Corps), que os carinhas tentam roubar na 2a fase.
    Pra finalizar sobre o Hard Corps, minha “tier list” dos personagens : Browny > lobisomem > Sheena / robô vermelho > Ray / robô azul.
    O Shattered Soldier, INJUSTAMENTE deixado de lado, tem toda uma ambientação “metal”. Apesar de repetitivo, eu curto muito o jogo e sua trilha sonora (ah, aquela abertura !!!). E é dificil pacas ! (haja paciência pra ter o rank S, fazendo 100 % no fim da fase). Por sinal, hà vàrios “easter eggs” dos antigos jogos :
    -a tartaruga, chefe da 1a fase do Alien Wars, é o chefe de uma das fases, e aparece “pulando” e esmagando um transformer helicoptero (que aparece na abertura, e você enfrenta ele na fase 6)
    -o robô “maratonista” do Hard Corps reaparece na fase do trem

    Finalizando sobre o Shattered Soldier, vale contar um pouco da historia dele : o Bill Rizer supostamente “pirou” no futuro e acionou um dispositivo que matou 80 % da população do planeta (por isso ele aparece preso no inicio), e o Lance supostamente morreu tentando deter o Bill. Depois, aparece uma nova facção que “toca o terror” no mundo, e sò o Bill pode deter ele. Depois, se descobre que o lider dessa facção é o Lance Bean, e o pessoal que à principio “dà as ordens” pro Bill se mostra ser corrupto, jà que eles armaram pra cima do Bill (a explosão que matou os 80%), e tinham “avisado” aos Aliens que tinha resquicios de tecnologia Alien na Terra, desencadeando os eventos do Contra 3.

  • Rafael Ramalli

    Olá queridos amigos do Retrogeek, como estão?
    Excelente 3 em 1, novamente vocês falando de jogos ótimos e nos motivando a revisitá-los!
    Alguns meses atrás resolvi acertar minhas contas com a jogatina do passado e encarar o desafio de terminar Gunstar Heroes pela primeira vez, mesmo tendo o jogado muito nos anos 90. Resolvi então fazê-lo da maneira mais tradicional possível, o joguei no Mega Drive III, ligado a uma TV de tubo, sem o recurso de salvar o progresso. Amigos, e que desafio! O jogo é difícil e desafiador mas nunca desleal, depende da sua habilidade em ir entendendo os padrões e melhores ataques até que consiga formular rapidamente uma estratégia e a colocar em prática. Para realizar a façanha de terminar o jogo tive que repetir muitas vezes algumas fases, especialmente a que você enfrenta 5 chefes seguidos em ordem aleatória e deixar o videogame ligado durante a noite para não perder o progresso. No final de tudo, tive uma ótima experiência e este jogo se tornou um dos meus favoritos da vida.
    Agora que ouvi sobre o jogo novamente é bem provável que o revisite em breve!
    Obrigado novamente amigos, cada episódio vocês ficam melhores e nos tiram mais suspiros de nostalgia!

    Até logo! Hooooooooooooooooooo

  • Lionel Novaes de Freitas

    Fala amigos retrogamers. O que falar desse gênero que considero pacas. O Contra, deus me livre, foi um dos primeiros jogos que peguei quando ganhei o Super Nintendo e achei difícil demais, até hoje, nem tenho vontade de tentar jogar de novo de tanto trauma que me deu. O Gunstar Heroes, joguei na casa de um amigo que tinha o MegaDrive e foi a primeira vez que tive inveja do videogame dele e pensei, uoowww que jogo é esse? (depois só fui ter novamente essa inveja boa vendo o Aladdin do mega). Nunca terminei, mas só fui re-jogar anos depois emulando no PSP. Um joguinho lindo que preciso tentar zerar com esmero.
    Já o Metal Slug meus amigos, esse jogo é minha perdição, gastei muita ficha nas máquinas de shopping e até algumas semanas atrás estava re-jogando todos em sequência. Esse é um dos jogos que mais revisito e todas as vezes é desafiante. Enfim, deixa eu ir indo nessa pois vou participar de novo da única guerra que importa, a guerra contra aliens, zumbis e múmias em cima do meu camelo nervoso. Hooooooooo

  • cassio carlos silvino da silva

    Fala galera retrô!!

    Sou traumatizado com Contra 3 até hoje, nunca zerei, nem com co-op, lembro de ter chegado na fase que a perspectiva é de cima, daí em diante se passei dessa parte não lembro hehe…gunstar heroes confesso que nunca joguei, só ouvi falar. Acho que hoje eu teria um carro zero se juntasse o dinheiro que perdi jogando metal slug, glorifiquei de pé quando finalmente pude jogar no console e usar 300 “continues”. Mais um ótimo cast pra conta galera, abraços!!!

  • Tiago Ramos Melo

    Salve galera do Retrogeek,dos 3 citados foi Metal Slug que joguei mais intesamente, me lembro da primeira vez que vi num fliperama perto de casa, vendo aquele tiroteiro sem fim, algumas partes comicas e com isso valeu minha ficha pra jogar ele, mas esqueci que qualquer tirinho que vinha pro personagem eu ia pro saco, junto com a ficha desperdiçada, era uma faca de dois gumes o jogo, pelo frenesi da aventura e destruição por todos lados e a perda das vidas por causa de um erro ou detalhe na jogada. Posso falar que não ficava frustado, era tentar controlar a raiva e tentar de novo (claro do zero) e tentar salvar.

    Parabéns pelo cast de tirar o folego e paciência de muitos que jogaram os 3, que venha mais um 3 em 1 interessante pra nos mostrar. (faz um bom tempo que não fazem um de filmes hein) #LionelHoooo!!!!