Retrogeek Podcast #61 – Novelas

CompatilheShare on Facebook0Tweet about this on Twitter

Os clichês das mexicanas, a fantasia do Aguinaldo Silva, as Helenas do Manoel Carlos e a nudez da Manchete, chegou a hora de relembrarmos as novelas das antigas em mais uma edição do Retrogeek Podcast!

Participantes do episódio:
Caio Hansen, SidãoJP MoraesWellington Tavares

 

Clique aqui e entre para nosso grupo no Telegram
Clique aqui e entre para nosso grupo no Facebook

 

Ajude o Retrogeek a chegar aos 16bits contribuindo em nosso Padrim!

 

Nosso Feedrss-cast
Nossa página no iTunesitunes-cast
Download do episódio em mp3

Fale Conosco:
Facebook, Twitter, Instagram, YouTube e contato@retrogeek.com.br


Arte da vitrine: Caio Hansen
Edição: JP Moraes


Um agradecimento aos nossos retropadrinhos:
Altamiro Francisco Rocha Junior
Caroline Rodrigues Serafim
Elieverson Santos
Lionel Novaes de Freitas
Jeferson de Oliveira Cardoso
Luiz Fernando Moreira de souza
Anderson da Rosa
Rafael Ramalli Da Silva
Tiago Reis
Paulo Roberto da Silva Santos
Caio Vinícius Ney
Jonas Ferreira


 


Deixe seu comentário

  • Leandro Nascimento

    Salve retrogeeks , td blz ?
    Tb fui vitima da única tv em casa e assisti a varias novelas para depois eu poder assistir o que eu quisesse.
    A novela que tenho na memória é FERA FERIDA. No elenco tinha o Edson Celulari e o Lima duarte. A historia girava em torno do desejo de vingança do Flaneu, interpretado por edson celulari,contra os poderosos da cidade.Lembro que ele atiçou a ganancia dos persongens do lima duarte e do saudoso josé wilker….pela fofoca de poder transformar ossos humanos em ouro.
    tinha também as novelas que flertavam com tipos misteriosos como A MULHER DE BRANCO E O CADERUDO….kkkkk
    A ultima novela que assisti foi O Clone que eu curtia muito o núcleo mulçumano e daquele barzinho.
    Das novelas mexicanas a única que curti foi carrossel e essas da maria de n sei o que….cmg n rolou.

    grande abraço.

  • dellagustin

    Pessoal, vou deixar aqui uma lembrança de Vamp relacionada a video games (como todas as lembrarnças que eu tenho de criança).
    Mas quero ver se mais alguém confirma, por que é uma lembrança muito antiga.
    Na novela o diretor (Jorge Fernando) aparecia como mentor de algum caçador de vampiros, ele aparecia com um hábito, tipo uma roupa de monge e JOGANDO um GAME GEAR.

    Alguém lembra disso?

  • Carlos Nani

    Cara, quando eu vejo um podcast sobre novelas e vocês não perguntam quem matou Odete Roitman eu vejo que estou ficando velho. rsrs
    Ótimo episódio e me trouxe lembranças da época que só tinha uma TV em casa e a Globo dominava mais do que hoje em dia.

  • Lionel Novaes de Freitas

    Salve, salve retroamigos. Que gostoso relembrar esse tempo em que eu via novelas com a família por falta de opção. Eu me recordo com carinho de Pantanal (que tinha também esse ar fantástico e folclórico que vocês citaram, como a Juma que virava uma onça pintada, ou o velho do rio e tal). Bons tempos em que meu senso crítico e inocência me permitiam vê-las de boa. Umas bem marcantes e que também valem a citação: O Clone, O Beijo do Vampiro, Um anjo que caiu do céu. Engraçado que salvo raras excessões, parece haver um app ou software automático que combina palavras e gera o nome de algumas novelas, porque a maioria delas não faz muito sentido com a trama: o que me diz de Café com aroma de mulher (hã, como assim?). Mas pra mim, A Viagem foi a melhor novela que vi e a que mais me marcou (já que ainda jovem despertou minha orientação kardecista). Valeu retrogeeks, esse cast dá pra indicar até pra minha mãe ouvir. E agora, deixa eu ir ver mais um episódio Blockbuster da maior novela gourmet de todas: o Game of Thrones. Hoooooooooooo

  • Tieta, Renascer, Pedra Sobre Pedra, Quatro por Quatro, Que Rei Sou Eu, Pantanal, Carroussel… Eu vi muitas novelas. A primeira que lembro de ver é Sassaricando. E vocês?

    Em tempo, pra lembrar do Bluegrass, pensem em batalha de banjo. Som do sul dos eua, tem em todo desenho “de caipira” de lá.

    Não entendi como disseram que o maior mistério foi na Próxima Vítima. Quem matou a Odete?

    E sobre Banjo, temos este episódio aqui:
    http://culturanerdegeek.com.br/fermata-podcast-19-que-som-e-esse-banjo/

  • Strider_Tag

    E por sinal, um dos destaques do elenco do “barzinho” da novela “O Clone” foi a Dona Jura, interpretada pela Solange Couto. Isso marcou um retorno aos holofotes da atriz, que jà foi musa de carnaval nos anos 70, e foi muito benéfico à ela.

    Outro “easter egg” de O Clone foi a pequena participação de Alessandro Safina, que cantava a musica “Luna” na novela (e foi um baita hit essa musica). Nessa pequena participação, lembro que a Vera Fischer tascou um baita beijo nele.

  • Strider_Tag

    * De novelas, no caso da globo, vale citar que sempre tem um “esquema” :
    -as novelas “das 6”, que geralmente são “de época”
    -as novelas “das 7”, que sempre são engraçadinhas
    -as novelas “das 8” que falam sobre diversos temas, geralmente se passam em vàrios paises além do Brasil, e tem os diversos nucleos (nucleo “rico do Leblon”, nucleo pobre [THAT’S RACIST !], nucleo “internacional”, e sempre tem um vilão marcante)

    * Infelizmente ultimamente temos tido poucas novelas marcantes. A novela “Cheias de Charme” da Globo (das 7), com as “empreguetes”, foi um sucesso estrondoso, e até inesperado.

    * A atriz Maria Fernanda Candido (a “Sophia Loren” brasileira) apareceu primeiro na abertura da novela “A Indomada” (aquela da mulher correndo e se transformando em elementos para fugir das barreiras).

    * A Vamp teve uma “sucessora espiritual”, “O Beijo do Vampiro”, que foi também um baita sucesso, com o grande Tarcisio Meira interpretando o BORIS. Além dele, teve o Kaiky Britto em destaque, e outros coadjuvantes marcantes, como a “Van pretta”, e o personagem do Tony Tornado.

    * Ainda sobre Vamp :
    -a intérprete da abertura, Vange Leonel, infelizmente faleceu em 2014
    -a novela trouxe Claudia Ohana aos holofotes, fazendo dela um “simbolo sexual”. Ainda mais depois do episodio do “matagal” da Playboy nos anos 80 (e eu paro por aqui)
    -Vale lembrar da dancinha do Vlad (Ney Latorraca), interpretando um “Thriller” :

    -E como não esquecer da Natasha “dançando” em Veneza na novela, e interpretando depois “Sympathy for the Devil” (dos Rolling Stones)

    E pra finalizar, confesso que tinha uma queda pela Patricia Travassos (a esposa do Matoso) …

  • Strider_Tag

    NUNCA ESQUECER da luta contra o Vlad, quando aparece o personagem do Jorge Fernando, o Vlad fala “ah não, até o diretor contra mim !?”.

  • Junior Xavier

    Pois é triste época em que havia uma unica teve na casa, geralmente uma de 14 polegadas preto e branco. Mas estranhamente eu gostava de assistir, talvez a minha mentalidade fosse diferente e conseguisse aguentar os temas e enredos antigos, hoje em dia tá tenso de acompanhar qualquer novela, tanto pelas tramas quanto pela vida de adulto. Acho que a primeira que realmente acompanhei foi Vale Tudo e sua grande pergunta quem matou ODETE ROITMAN, acho que só sosseguei quando descobri, lembro que na minha escola tinha até bolsa de apostas. Cast muito tri, e no aguardo no de trilhas sonoras de novelas. Abraço.

  • Tiago Ramos Melo

    Salve retrofofoqueiros de plantão, sempre antenados nos assuntos e dos babados mais irreverentes da nostalgia novelistica brasileira.

    Naquela época somente tinha uma televisão em casa, e com certeza, a noite sempre foi reservada pra ver as novelas da rede plim plim. Era uma angústia ficar em brigas com os pais pra você ver desenhos como Cavaleiros do Zodíaco, séries educativos como O Mundo de Beakman e grandes séries como Anos Incríveis e ficar com a razão deles se não o chinelo ia teleguiado na bunda e transmitindo dor.

    Assistia bastante Carrossel, adorava aquele ambiente escolar e os contos dos alunos, mas do outro lado vinha ter o apelido de um dos alunos de lá, minha mãe me chamava de Jaime (nem precisa falar o motivo) e eu ficava até com raiva com o excesso da chamação.

    Em relação as novelas da Globo, sempre adorei o ambiente do “O Rei do Gado”. A abertura onde o Antônio Fagundes fazendo “zerinho” no mato, no meio dos bois e virando ouro do nada era o mais brisado naquela época, tanto que re-vi no Vale a Pena Ver de Novo junto com o meu pai e tirando o sarro do personagem que fazia contagem de dinheiro com bois, sempre perguntando quanto bois ia custar algo.

    Somente é isso e quero parabenizar mais uma vez pelo cast dramático que fizeram, se tiver segunda temporada, com certeza, vai ser líder no IBOPE e primeira página dos sites de fofocas da internet. Até a próxima e vamos em busca da nostalgia chorosa perfeita.

    Polystation 1- o início: Reza a lenda que Tonho da Lua está em algum lugar do litoral esculpindo esculturas dos integrantes do retrogeek e idolatrando e falando que é amigo deles.

    Polystation 2 – a volta dos que não foram: Jamanta não morreu.

    Polystation 3 – a saudade: #saudadesbabalu

    Polystation 4 – o final revelador: Pra quem escutou essa leitura de feedbacks, admita, você assistia novela e está rindo que nem louco por causa desse episódio.

    Polytstation 5 – o ultimato: Lionel HOOOOOOO!!!!!

  • Oi pessoal do Retrogeek! Retornando pros comentários aqui e com um tema que era mega esperado por mim. Desde que me entendo por gente, era bastante noveleiro. Não entendia muito bem esse machismo besta de que só mulher podia ver novela sendo que tem (muito) homem que vê e gosta bastante. Felizmente, esse preconceito bobo já diminuiu bastante.

    Das novelas nacionais, não posso falar de muita coisa porque a fase realmente boa dela era num tempo que sequer tinha nascido. Não assistia “Vamp”, “Pedra Sobre Pedra”, “Irmãos Coragem” e afins. A mais antiga das que vocês citaram e que lembro de flashes era “A Viagem” por conta da música-tema que gosto bastante e das histórias bem louconas. Depois disso, a que me lembro de ter acompanhado bem de perto tinha sido “Laços de Família” e “O Clone”, clássicos eternos da Globo. Sobre as novelas da Manchete, eu vi por um bom tempo a reprise de “Pantanal” no SBT e adorava aquilo e ficava besta de como a audiência do SBT aumentava muito com a reprise. HAHAHAHA

    Das novelas mexicanas, isso tenho muita história. Sempre amei e sempre vou amar a cafonice e o overacting de todos os envolvidos. Desde as infantis como “Luz Clarita” e “Carinha de Anjo” até as mais ~adultas~ como a Trilogia das Marias e “A Usurpadora”. E realmente, a Trilogia das Marias tem a mesma história. Só muda é a profissão da personagem da Thalía. Em “Maria Mercedes” era uma vendedora de bilhetes de loteria, em “Marimar” uma menina que vivia na praia e em “Maria do Bairro” era catadora de lixo a maldita catadora, já dizia Soraya Montenegro. Aliás, faltou falar da melhor cena de toda novela com a famosa cena da Soraya brigando com a maldita aleijada, que virou meme em todo lugar do mundo.

    Sobre “A Usurpadora”, uma correçãozinha básica. A Paola não trocou de lugar com a Paulina. A Paola obrigou a Paulina a ficar no lugar dela pra que a Paola passasse um ano fora da casa dela pra continuar com o seu “hábito saudável” de ter amantes pelo mundo todo. Pelo que se tem conhecimento, ela tem uns 8 amantes ativos NO MÍNIMO (!!!). E meu amor pela novela é tanta que cobri a novela inteira fazendo review capítulo por capítulo e contabilizei pelo menos, mais de 60 vezes que a Estephanie (a irmã crente do Carlos Daniel) chama a Paulina de vagabunda e pelo menos umas 9 vezes que chamam o Carlinhos de moleque imundo. (Sempre importante saber isso HAHAHAHA)

    Enfim, desculpe pelo comentário gigantesco mas isso é porque realmente adorei o tema e o cast. Um abração e até a próxima! =]

    Link pros posts de “A Usurpadora” pra quem quiser ver: https://www.facebook.com/media/set/?set=a.754913004584731.1073741849.100001981141268&type=3

  • Strider_Tag

    Ultima leva de comentàrios :
    -Em “O Clone”, quem se lembra de quando o Said REPUDIOU a Jade ? (eu te repudio, Eu te repudio, EU TE REPUDIO !)
    -Mais uma de “O Clone” : a aparição de Zein sua dancinha na boate dele.

    -Talvez fica pra uma proxima, mas ficou faltando KUBANACAN (novela das 7 da Globo), e o lendàrio “Pescador Parrudo” ESTEBAN (interpretado pelo Marcos Pasquim). E depois ele ainda incorporava o DARK ESTEBAN.
    -E outros “sucessos” das 7 : Uga Uga (com o Claudio Heinrich interpretando um “tarzan” loiro), e “Bang Bang” (que foi um baita fracasso), na qual tinha o Sidney Magal interpretando o ZORRÔ (e ainda tinha um sidekick, e ambos formavam uma dupla muito “proxima”).

    -Como explicar a longevidade de Malhação ?

    -Chiquititas marcou o surgimento de uma porrada de atores que ficaram conhecidos depois.

  • Adilson Cts

    Olá companheiros das madrugadas de desenho!
    Tamo junto Sidão, também assisti A Usurpadora na Netflix recentemente. Fui até perto do episódio em que a Paulina é presa e acabei cansando (foi mau pelo Spoiler). Novamente me apaixonei pela personagem, o que despertou a ira da minha esposa… Como roteirista amador de História em Quadrinhos, considero o roteiro desta novela de alta qualidade, isso levando em conta que se trata de uma novela, além de ser preciso estar com a suspensão de descrença ativada.
    Outro Roteiro de novela que gostei muito foi o de Belíssima, que era um suspense policial. Na época eu fiquei fã do autor Silvio de Abreu, apesar dele ter dado uma roubada no Roteiro. Anos depois, ele repetiu isso no roteiro de Passione, então acabei abandonando as novelas, pois coisas como essa passaram a me irritar muito. Outra novela com roteiro desse tipo que me agradou foi Chamas da Vida, da Record.
    A novela Bang Bang tem sua primeira cena em anime! Achei interessante e a ambientação diferente para uma novela, junto com um clima despretensioso, acabou me prendendo até o último capítulo.
    Como vocês puderam deixar de mencionar Caminhos do Coração: Os Mutantes? Só porquê os efeitos especiais eram do mesmo nível do Casseta e Planeta?
    Obrigado pelo cast divertido e pela companhia.

  • Paulo Roberto Silva Santos

    Ola Retrogeeks, aqui é Paulo Roberto de Recife, venho aqui me redimir depois de tantos cast sem comentar uma única linha neste glorioso site, então senta que lá vem história, vou comentar na ordem cronológica dos episódios e esperam que vcs gostem do monte de lembranças empoeiradas que vou jogar em cima de vcs:
    50 Os cavaleiros do zodíaco: Nunca fui muito fã dos cavaleiros, assistia os episódios mas achava as lutas muito maçantes na série mas gostava dos filmes por que a porradária era mais franca sem tempo pra muito flashback, e era o assunto da garotada então assistia as vezes. Mas quando falo em cavaleiro me vem na mente a sátira publicada na finada revista Hyper Comix chamada de Los Cabaleiros Ridículos, era uma comedia escrachada com os personagens onde todas características e maneirismos foram zuados, com direito escatologias como shum chamando por seu irmão, mesmo antes de começar a luta, com gritinhos afeminados interrompendo uma transa de Ikky com uma das guerreiras mágicas de rayearth. A Marin invocando a cobra quando tem um orgasmo com Seiya, botando o cavaleiro pra correr de medo. Mas a cereja do bolo era a versão da musica tema, lá vai: “Los Cabaleros são ridículos, lutadores com poder astral, vamos chutar os seus testículos se vc for um cara mal’’ e pra provar que essa insanidade existiu segue um link do flogão com um capitulo da história https://www.flogao.com.br/saintseiyacdz/52217345, e outro com a capa da revista http://www.guiadosquadrinhos.com/edicao/hyper-comix-n-1/hy428101/75954 .
    51 Kid Chameleon, Comix Zone e Garfield: Nunca joguei nem um, mas tinha visto nas revistas de vídeo game da época.
    52 sobre 1999: desse episódio não lembro quase nada.
    53 Era pra adulto mais a gente gostava: Essa era a realidade da TV brasileira nos anos 80 e 90, me lembro de ver lagoa azul com toda aquela nudez as três da tarde e a banheira do Gugu no domingão com a família reunida e o Vandame excitado com a Gretchen, são tempos que não veremos nunca mais na tv aberta.
    54 Parece velho 2: Mais um episódio que o tempo retirou da minha mente.
    55 Tico e Teco, Esquadrilha Parafuso e Timão e Pumba: Assistia timão e puba no tv Cruji, esquadrilha parafuso passavas aos domingos na globo, no horário que antecedia o filme da tarde dominical da emissora, já tico e teco não tive contato.
    56 Brindes coleções e outras febres: Eu tive aqueles copos safadissimos dos trapalhões que vc juntava tampinhas de coca cola pra trocar nos caminhões da distribuidora do refrigerante que circulava pelo bairro, na época dos tazos eu já me achava velho pra essas coisas.
    57 Grim Fandango, Full Throttle e Maniac Mansio: Tive um único contato com Full Throttle quando fui à casa de um primo, lá pelos anos 90, fazer um trabalho de escola num dos primeiros computadores da família na época, munido de alguns papeis A4 e do curso de datilografia, depois que ele me explicou como ligava o PC e como imprimia, ele não resistiu a mostrar o joguinho que veio no windos, lembro que era tão nub que não parava o trabalho pra jogar com medo de não saber voltar para o arquivo. Já os outros jogos não tive contato com eles ate hoje.
    58 Quadrinho dos anos 90: Nos anos 90 eu já estagiava e podia comprar minhas HQs foi ai que descobri Spawn num banca, a qualidade do papel e o formato me impressionaram de uma forma que foi impossível não comprar. A possibilidade de conhecer um personagem do zero sem anos de cronologia nas costas me conquistou e partiu coleção. Depois vieram drogas mais pesadas como Strike Force e Ciber Force. Fui conquistado pelas edições X-mem Gigante 1 e 2, que deu o ponta pé inicial na minha coleção da revista dos mutantes, por fim X-mem2099 que colecionei ate o ultimo numero, vale a menção honrosa para as historias do Motoqueiro Fantasma 2099 que vinham nesse mix, esse sim era um personagem com uma premissa original, ainda tentei colecionar o starman do James Robson mas era uma revista com distribuição péssima aqui no nordeste e a coleção fracassou.
    59 Moderno mercado retrogamer: faltando escutar esse cast!
    60 ThunderCats, SilverHawks e Galaxy Ragers: Eram todos desenhos muito fodas, acho que falar dos gatos do trovão é chover no molhado por que todo mundo gostava, SilverHanks me lembra das tardes do SBT e Galaxy Rangers manhãs de férias assistindo Show da Xuxa dos anos 90, tenho um episódio em especial que os Rangers estavam atrás de um artefato poderoso chamado A boneca das Emoções, uma boneca ninguém podia tocar sob pena de enlouquecer com uma descarga emocional sem precedente. E lá pelas tantas o personagem Gos se abraça com a boneca e sobrevive para contar a historia e provar o quanto ele era o fodão do grupo. No fim do episodio ele se despede da boneca com uma ternura estranha no olhar demonstrando que um elo emocional foi criado ali, e pra mim ficou claro que o personagem foi mudado por dentro, mas não lembro se houve realmente uma mudança do personagem.
    61 Novelas: pra finalizar, lembro de muitas dessas novelas que vcs falaram, todas da globo pelo menos, lembro de Vampi, que minha dizia que era coisa do diabo, teve uma fase que os vampiros dominaram a cidade e uma grupo de heróis foi pra rua sentar a porrada numa multidão de vampiros/zumbis em uma cena digna do George Romero.
    Ufa, amigos termino esse e-mail por aqui, espero ter me redimido e vida longa e prospera ao retrogeek, hooooooo!

  • Adilson, a Paulina é presa NA ABERTURA da novela. já nem é tanto spoiler assim hahahaha (adoro novela que dá spoiler do que vai acontecer na própria abertura)